Nós úteis


Nó Direito:

Para emenda de cabos.


Nó de Azelha:

É usado para suspender prumo, formar uma alça ou asa, ou destinado a pendurar um cabo. É dado na ponta de um cabo, não poderá receber esforço, pois será difícil de desfazer. Outras vezes é feito em ponto poído do cabo para substituir o catau.

Balso pelo Seio:

É o nó dado em cabos, dobrados, de modo que fiquem duas alças firmes, usado em casos de salvamento, ficando as pontas do cabo livres para o trabalho de descer e guiar o paciente.


Cadeira de Bombeiro:

Ë o nó feito com duas alças amplas, uma para atuar sob os braços e a outra por trás dos joelhos, ficando as pontas do cabo livres para os casos de salvamentos, sobretudo de altura, em casos de incêndios. o nó é reforçado por dois cotes laterais, para firma-los bem.


Catau:

Para encurtar um cabo frouxo.


Nó de Correr:

Feito com uma alça para apertar sempre que puxar.


Nó Direito Alceado:

É o nó que quando precisa ser solto, e é feito deixando-se uma alça em um dos chicotes bastando, então puxar uma das extremidades para que ele se disfaça.


Nó Enfardador:

Nó utilizado para esticar um cabo. Prende um cabo a um estai (Ribeira) e em seguida, no outro estai, faz-se um S na corda colocando a ponta do S virado para o lado onde foi feito a Ribeira, fazendo-o um cote, do outro lado, ficará com um alça. Pegue a ponta da corda e de uma volta sobre a árvore, esticando-a e volte pela árvore dando no cabo vários cotes.


Nó Escota:

Para emendar cabos de diâmetros igual ou desigual, ou para prender o cabo numa argola.


Nó de Fateixa:

É o nó que se faz para firmar um cabo em uma barra, num arganéu, para amarrações firmes, ou para prender a fateixa, que é âncora pequena como argola. O nó consiste em uma volta redonda com cotes, passando o primeiro por uma volta, para não apertar.


Volta da Fiel:

Para amarrar o cabo à vara de madeira nos trabalhos de Pioneiria.


Volta da Fiel Dupla:

É usada em lugar da simples volta de fiel e para amarrar cabos de retenção e espias.


Forca:

Arme a laçada conforme o esquema, deixando a ponta de trabalho com tamanho suficiente para executar as voltas. Realize finalmente e, ao fazer a última volta, introduza a ponta de trabalho na laçada superior do nó. Em seguida puxe a laçada inferior pelo lado correspondente à ponta de trabalho para apertá-la e conservar as voltas seguras. O laço é regulado movimentando-se o lado da corda correspondente à sua parte fixa.


Nó de Frade:

Nó utilizado para criar um tensor na corda, servindo para parar um roldonha, ou como escada ou até mesmo em transmissão de morse.


Lais de Guia:

Nó utilizado para criar um tensor na corda, servindo para parar um roldonha, ou como escada ou até mesmo em transmissão de morse.


Nó Moringa:

Nó especial para amarrar nos gargalos de garrafas ou jarros, de grande utilidade. É seguro e resistente.


Nó oito:

Este nó é mais volumoso que o nó superior comum e muito mais fácil de ser desfeito, quando não for apertado demasiadamentre. É usado comumente sempre que queira criar uma protuberância numa corda, servindo erfeitamente quando se fizer necessária a fixação de uma corda em seu encaixe. Neste caso, o nó poderá ser empregado se não houver uma estaca ou outro local onde se amarra a corda.


Nó de Pescador:

Para emendar duas linhas molhadas ou escorregadias.


Volta da Ribeira:

Para amarrar o chicote de um cabo a uma vara de madeira ou a um tronco.


Nó do Salteador:

Nó utilizado para descer de um tronco com um dos cabos e desamarrar o nó com a outra ponta do cabo.


Volta Redonda com Dois Cotes:

Este nó é bem útil. Serve para amarrar um cabo a um mastro ou verga e também a uma argola ou arganéu apertando-o. O importante é fazer o cabo dar duas voltas em torno do mastro para segurar bem apertado.


Amarra Diagonal:

Serve para aproximar e unir duas varas que se encontram formando um ângulo agudo. É menos usada que a Amarra Quadrada, mas é muito utilizada na construção de cavaletes de ponte, pórticos etc.
Para começar usa-se a Volta da Ribeira apertando fortemente as duas peças. Em seguida dão-se três voltas redondas em torno das varas no sentido dos ângulos, arrematando-se com um anel de duas ou três voltas entre as peças e uma Volta de Fiel para encerrar.


Amarra Quadrada:

É usada para unir dois troncos ou varas mais ou menos em ângulo reto. O cabo deve medir aproximadamente setenta vezes o diâmetro da peça mais grossa. Começa-se com uma Volta de Fiel bem firme. A ponta que sobre desse nó, deve ser torcida com o cabo para maior segurança. As toras ou varas são rodeadas por três voltas completas redondas entre as peças (toras) concluindo-se com a Volta do Fiel na vara oposta ao que se deu o nó de início. Observe o desenho.


Amarra Paralela:

Serve para unir duas varas colocadas paralelamente. Pode ser usada para apoiar ou até sustentar a outra vara.


Amarra de Tripé:

Esta amarra é utilizada para se fazer tripés, utilizados de diversas formas, tais como suporte de lampião, e outros.


 
principal / dicas / Nós úteis

© 2002 - Direitos Reservados - Clube de São Paulo Off-Road ®
Desenvolvido por Mr.T